“A cada dia que vivo; mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.”

(Carlos Drummond de Andrade)

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Naufragando em silêncio...

   


 As vezes tudo, simplesmente não é nada, não te diz nada...  E parece que a harmonia se quebra.   Sinto vontade de ir...   Ah eu não sei onde, não sei pra onde e nem fazer o quê. Eu sinto vontade de não estar em lugar nenhum, desaparecer.  Aí dá uma vontade doída de parar com tudo, de ser mais nada e não ter mais nada. 
   Eu já nem mesmo sei quando sou algo, alguma coisa, se sou...  Será que sou?  É muita confusão, muita exigência sem exigir. Ah, eu não consigo perceber até que venha a cobrança, a dor, as lágrimas. Me sinto fraca e fracassada e tudo que eu queria agora é um pouco de colo. Estou naufragando em silêncio...

D. Trugillo.

Himalaya

Slides e links de todas as postagens