“A cada dia que vivo; mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.”

(Carlos Drummond de Andrade)

segunda-feira, 2 de março de 2015

A passagem

   

E era só ver o que era óbvio, mas nada viu... 
   A confiança é a cola que mantem intacto o encantamento e eu estava encantada...
   A cada dia o verbo não dito dando lugar a passagem de luzes, o tempo tornando o interior cada vezes menos escuro... É um convite a transpor a passagem rumo ao lado de fora, o freio é o medo do desconhecido... Medo pode ser um atrativo, afinal de contas...  Ainda não sei, só sei que a ostra não está mais tão cerrada, por falta de irrigação.

D. Trugillo
            

Nenhum comentário:

Himalaya

Slides e links de todas as postagens