“A cada dia que vivo; mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.”

(Carlos Drummond de Andrade)

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Meus olhos em festa

   

Quando meus olhos pousam em ti eles fazem uma festa, em silêncio a boca, o coração acelerado enquanto os olhos se acendem e passeiam no encontro com teus olhos acesos, tua boca vermelha é um convite molhado e urgente,  meus olhos contornam teu rosto, tua pele toda, de longe te adivinho o cheiro já meu conhecido e provocante.  

Se meus olhos emitissem som tu ouvirias a festa que acontece enquanto te percorrem em estado de alegria, te adivinhando os desejos sob as roupas, por fora fogo controlado, por dentro vulcão em explosões pirotécnicas.  Com os olhos em festa te chamo e vens, conhecendo tudo que meus olhos te dizem, vens para satisfazer meus anseios, matar minha saudade, saciar minha sede e finalmente  fazer meus olhos se fecharem em êxtase para repousar no teu regaço envolvidos em nosso amor.

D. Trugillo


Himalaya

Slides e links de todas as postagens