“A cada dia que vivo; mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.”

(Carlos Drummond de Andrade)

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

O tempo sorri para mim...


   Eu disse, mas voce não ouviu...   Fui passando por tantos caminhos sempre sozinha, voce não me viu, os sonhos e desejos esvaindo-se como fumaça.
   E agora não se assuste com o som do meu silêncio, só quero ser feliz, com ou sem o teu amor.  
   O tempo bate a minha porta, sopra meu coração com seu hálito quente, sussurra mel em meus ouvidos, cintila faíscas tórridas.
   Quero minhas antigas torres em meu redor, mas quando penso que as vou tocar...   Miragem, areia, sonho...?  Não sei, não sei.
   O tempo sorri para mim, é de manhã, ainda sinto o cheiro da noite, mas os primeiros raios de sol começam a bordar as nuvens no céu.   Sinto o cheiro da noite em meu corpo, mas o sol promete aquecer minha pele.   O tempo sorri seu sorriso cheio da malícia de um muito saber; ele sorri para mim e eu...   Eu tento adivinhá-lo...   Mas sempre vou lembrar do tempo em que meus olhos viam o mundo em tons de rosa.

D. Trugillo.

   “Siempre que te pregunto, que cuándo, cómo y dónde, tu siempre me respondes, quizás, quizás, quizás...
   Y así pasan los dias, y yo desesperada, y tú, tú contestando, quizás, quizás, quizás...
   Estás perdiendo el tiempo, pensando, pensando, por lo que más tú quieras.   ¿Hasta cuándo?   ¿Hasta cuándo?

(Nat King Cole)
  

 A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!   
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

(Mário Quintana)



segunda-feira, 20 de agosto de 2012

A marca... Tua marca em mim.




   A vida passa tão depressa...    Achamos que temos tempo para fazer as coisas realmente importantes, para dizer as coisas que de fato importam...   Mais tarde...   Mas a vida tem tão poucos momentos pelos quais realmente vale a pena, eles são tão raros e tão breves...   Em geral somos covardes para assumir o que realmente importa, o que realmente nos enche de vida, o que realmente desejamos.  

   Com a mesma fragilidade de uma lágrima, tudo se evapora quase tão imperceptivelmente quanto à transparência destas lágrimas que tantas vezes escapam dos olhos para dizer em silêncio dos desejos sufocados do coração.   Não se pode por ações e coragem nos corações alheios, nos corações que amamos e tudo o que nos resta fazer, é ver a vida embaçar como as telas antigas e não cuidadas de grandes gênios que se foram deixando para trás suas obras mal compreendidas. 


   O tempo é assim, começa sutil como brisa e quando nos damos conta; leva nossos sonhos, nossas vidas, nossos amores, nossas esperanças, nossos credos; com a mesma força de um vendaval; tão rápido que mal podemos perceber a dor que rói dentro do peito, e; enfim a vida nos diz adeus, para que afinal a nossa figura se desbote da lembrança breve de todos que um dia fizemos parte da vida, que amamos e nos amaram.  



   Mas para contradizer tudo o que a carne viva nos impõe, às vezes temos absoluta certeza de que certas pessoas já passaram por nós antes, que deixaram e tornam a deixar sua marca, seu selo...   Pessoas que, a despeito de tudo, sabemos que levaremos para além desta vida, aceitemos isto ou não, é uma certeza profunda, que transcende a carne, que está além da compreensão de nossas mentes, além do poder do coração, que está marcado na alma pela eternidade.


   A gente se debate, se rebela, se revolta e acaba sempre de joelhos, desejando que a vida se eternize num instante especial, específico, que é breve, mas que dói como mil agulhas e ainda assim nos dá uma felicidade que poderá ser revivida na lembrança indefinidamente.
   Porque tudo que importa é tão impalpável, invisível, intangível, inexplicável, incompreensível e ainda assim deixa uma marca tão profunda.

D. Trugillo.


terça-feira, 17 de julho de 2012

Tantos anos de nada



   Dezessete de julho, por definição hoje deveria ser um dia especial, mas a vida é uma eterna surpresa...   No final ficou a pergunta: Comemorar o quê?   Com quem?   Para quê?  
   Não se pode querer partilhar uma coisa com quem não deseja e não está nem aí, então este dia 17 de julho serve para eu perceber como se consegue ser tola por tantos anos.
  Tinhas razão, para se conseguir o que se deseja, a pessoa pode usar de palavras doces, mas o que se deseja pode não ser compatível com o que o outro pensa que seja.
   Amor deveria ser reluzente nos olhos, para ninguém conseguir fingir que ama.   O amor deveria ser impossível de ser cinicamente interpretado por quem não o sente de verdade, pois para mim, amor é a mais pura definição de Deus. 
   Deveria ser crime, pecado imperdoável alguém fingir amar.

Quem ama se importa, se lembra, se esforça, se dedica.
No silêncio da solidão; um dia a mais, um nó a menos...

D. Trugillo.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Pedido


   Senhor, sei que Tu me conhece, Conheces-me antes que houvesse em mim o sopro da vida, Tu já me sabias.  Eu sei que o Senhor conhece de mim cada pensamento, cada batida do coração.   Esteja eu dormindo, ou acordada, sabes de cada sonho, cada devaneio, cada dor e cada desilusão.   Mas Senhor, eu não me sinto tão forte quanto preciso ser.   Eu sei que me Amas, então, Senhor, apascenta Tua filha, recolha-me em Teu colo, refrigera meu coração.
   Estou cansada, às vezes penso que não vou mais suportar e então, Achas o Senhor que posso mais, mas eu estou cansada...   Preciso de Ti, não suporto mais me debater sem encontrar o caminho.    Mostra-me, mostra-me!   Dê-me a direção que preciso ir para encontrar, ou reencontrar a Tua paz.   Mova-me com Teu Espírito, acende a minha alma, me envie Teus anjos para guardar o meu sono, para iluminar as minhas noites e alegrar os meus dias.
   Senhor, confiastes em mim e me destes os desafios, agora só o que Te peço são os meios para sobreviver a eles e vencer.

Tua filha que Te ama.
D. Trugillo.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Sonhos intangíveis

  Desejos...   Às vezes nos levam a pensar coisas que temos vergonha de repetir.    Não tenho escolha, se tivesse faria coisas diferentes.  Ah!   Se faria...   Mas ainda que eu tivesse escolha, não poderia sozinha, outras escolhas teriam que ser feitas e estas não dependeriam em nada de mim.
   Consigo ser altruísta, de agir com boa vontade, ou deixar de fazer algo pelas mesmas razões, entretanto os desejos do coração não acompanham os pensamentos, as ações.   E dizer...   Te dizer o que eu sinto, as minhas vontades?   Não, creio que jamais eu faça isto, a não ser que a vida por si mude o rumo da história, da minha, da tua história, mas como não acredito nisto, é melhor deixar esses desejos bem guardados.  
   Não dá para prever o que vai acontecer ‘amanhã’; amanhã pode ser que eu saia por aí e novos olhos me prendam, me encantem, me façam viver outra vez, mas agora...   Agora tenho desejos impronunciáveis.   Na verdade não acredito que eu veja outros olhos, pois em cada rosto que olho vejo os teus olhos, todas as vezes que fecho os olhos sinto a tua presença, todas as vezes a brisa toca minha pele sinto tuas mãos e o teu cheiro.
    Meus sonhos têm a promessa da eternidade, ainda que efêmera.   São só sonhos intangíveis, mas...   Meu coração não sabe que sou adulta, ele ainda é um adolescente cheio de sonhos, de desejos e esperanças.

D. Trugillo.

sexta-feira, 30 de março de 2012

Voce é o meu amor, o meu Senhor


   Quando estou ali...  É como sonhar de olhos abertos, ou vendados...  Viver, saber que estou para ti, é como uma ilusão intangível tocando a minha pele, é uma felicdade que dói, que preciso, que parece que não tenho direito a ela.   Voce em mim, é como um veneno com sabor de mel, um vício, uma necessidade insana, voraz...   Consome a minha carne, os meus pensamentos, devora meu coração e mesmo assim eu quero, preciso...   Voce acima de mim...   Meu desejo de te olhar...   Não posso, não deixas e eu...   Desenho teu rosto na minha lembrança, simples como todos os dias faço...    Saudade...    
   Eu olho para trás e não me reconheço mais...   Agora sou a tua escultura, o teu trabalho de lapidador...   Toda minha pele é tatuada das tuas digitais e tem o sabor do teu suor.    Voce comigo é magia sem igual, eu sinto teu desejo e o teu amor.   A tua força que me submete a teus pés, o teu cheiro me alucina, tua voz me faz tremer, querer...   Voce é o meu amor, o meu Senhor...

D. Trugillo.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Palavras ferem mais...



   Tudo tão confuso, eu não percebia as palavras vindo na minha direção de forma indireta, ou percebia, mas não estava pronta para admitir.   Doeu...
   Não sou o que eu pensei que fosse...   Sou apenas...



D. Trugillo.

Himalaya

Slides e links de todas as postagens