“A cada dia que vivo; mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.”

(Carlos Drummond de Andrade)

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

O encontro!



   Depois de tanto tempo, de passar os anos, o reencontro de hoje foi como um presente que tive.   Encontramo-nos e me ouvistes, me destes conforto, me mostrastes a paz e eu pude sorrir...   Não sei o que me espera, mas estarei aguardando o porvir, sem pressa, sem afobamento...


   Havia um espaço, uma espera, um querer nascido da necessidade de acolhida e carinho, de afeto desprendido e sincero; havia, havia...

   Então houve ‘o encontro’, o acalanto, a presença de amor, de verdade, da saudade e me deixei abraçar, afagar e guiar.

   Sede: saciada; dor: refrigerada; falta: suprida; queixas: ouvidas; coração: tocado com amor imenso.

  Enfim Te encontrei.


D. Trugillo.

Himalaya

Slides e links de todas as postagens