“A cada dia que vivo; mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.”

(Carlos Drummond de Andrade)

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Ansiedade, amor e sexo.


   Voce...   Senhor da minha vida!   Faz-me ter febre quando penso que está chegando a hora de te pertencer, todas às vezes a mesma chama, o mesmo fogo subindo pelas coxas, a vontade.

   Fecho os olhos e te sinto, teu cheiro, tua imagem, a textura da pele no meu corpo.   Quero...    Anseio pela língua que me invade e desliza pelo meu sexo.   Teu beijo...   Sinto meu gosto no teu beijo.
   Teu domínio...   Me fazes em pedaços e me sinto inteira, minha pele queima sob tua vontade, rubra, vibra por ti.   Quanto mais me submetes, mais altivo é meu amor.
   Teu corpo...   Quente, pesando sobre o meu, intenso e vibrante em movimentos dançantes, me cobre de teus líquidos.   Molhada...    De teu suor, tua saliva, teu sêmen.
   Olhares...   Nossos olhos se encontram, felizes, podemos vislumbrar o regozijo que habita o coração do outro.
   Sentimentos...   Cansaço, prazer, felicidade.   Apenas Amor.


D. Trugillo.

Nenhum comentário:

Himalaya

Slides e links de todas as postagens