“A cada dia que vivo; mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.”

(Carlos Drummond de Andrade)

quinta-feira, 17 de março de 2011

Conflito

   A s vezes a bandida da vida nos prega peças, é o que ela está fazendo agora comigo.   É como se houvessem dois anjos, o anjo bom e o anjo mau e ambos tivessem um papel a desempenhar, o anjo bom dormiu e o anjo mau está mais desperto do que nunca.   Até que nem é uma comparação tão justa assim, afinal o anjo bom não é tão bom assim e o anjo mau não é realmente mau.   São as trapaças da vida, mas como criatura rebelde que sempre fui, é bem capaz que o meu coração travesso encontre um terceiro caminho e o meu cérebro o dome e o conduza por um quarto, onde a sensatez seja maior, onde não haverão as cores, mas certamente terei o branco da paz.  
   Paz, estou necessitada dela, de um pouco de trégua, afinal, além de dos anjos, do coração e da razão, existem outros fatores, as garras negras da morte que deixou muitas e profundas marcas que levarei para sempre e as dificuldades que estão mais acentuadas a cada dia para o bem viver.   Parece piada, mas tudo resolve acontecer no mesmo momento, quando se deixou tudo para ser resolvido mais  tarde por falta de opção melhor e o mais tarde não quer mostrar a solução, mas eu renascerei tantas vezes quantas forem necessárias,   
   O gosto que sinto é amargo, mas depois da meia noite a tendência é clarear e certamente sentirei outros sabores.

D. Trugillo.

Nenhum comentário:

Himalaya

Slides e links de todas as postagens